THEME
AGORA, TRAGA-ME O HORIZONTE
Eu conheço suas ruas, doce cidade, Eu conheço os demônios e anjos que se agrupam e empoleiram-se em seus ramos como pássaros;
Eu conheço você, rio, como se corresse em meu coração;
Eu sou sua filha guerreira.
Há letras feitas de seu corpo como uma fonte é feita de água;
Há as linguagens de coisas que você é o projeto;
E quando as falamos
A cidade ascende.
Elka Cloke
3 days ago /  3126 notes /  reblog this ✖
O segredo está na graça da vida! Ser meticulosamente leve e solto, capaz de divagar sem lógica sobre o universo e seus espaços vagos. Você seria capaz de acreditar na piedade, no perdão? E quem sabe um dia no silêncio noturno dos pensamentos, com os olhos pregados no céu e as palmas no chão, descobrir, por um mero acaso, a origem dos anéis de saturno. Sim, os teus olhos partiram, eram feitos de mel. Eu posso ver a tua iris dourando a imensidão que nos encara e sangra, escancara nossa ínfima existência, terrena, inócua, finita. E se multiplicássemos o amor? Será que nos tornaríamos mais humanos? Acredite, nossa previsibilidade e dependência do outro é absurda. Nossa necessidade de companhia, uma derrota irremediável. O segredo está na graça da vida! No humor, no aroma suave e doce da margarida. Não me fale de confiança e jamais ouse soletrar a palavra traição. Se pararmos por um segundo perceberemos que somos todos feitos da mesma matéria, que sonha, que chora, que morre e se recolhe ao fundo de nós. Não somos donos de nada, somos apenas infelizes aprendizes nessa arte difícil de amar.

Elisa Bartlett.  (via oxigenio-dapalavra)

4 days ago /  453 notes /  reblog this ✖
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa (via oxigenio-dapalavra)

Porque eu estarei cultivando aqui dentro de mim o brilho das estrelas até que não seja mais possível. E ficarei lembrando da tua boca, teus braços e tuas palavras – de uma forma tão pura que só poderei rir. Desenharei com os dedos teus passos de mel em caminhos de flores e guardarei esta magia aqui comigo. Significa “criar laços”.

G. Beth Invitti

4 days ago /  3126 notes /  reblog this ✖
O segredo está na graça da vida! Ser meticulosamente leve e solto, capaz de divagar sem lógica sobre o universo e seus espaços vagos. Você seria capaz de acreditar na piedade, no perdão? E quem sabe um dia no silêncio noturno dos pensamentos, com os olhos pregados no céu e as palmas no chão, descobrir, por um mero acaso, a origem dos anéis de saturno. Sim, os teus olhos partiram, eram feitos de mel. Eu posso ver a tua iris dourando a imensidão que nos encara e sangra, escancara nossa ínfima existência, terrena, inócua, finita. E se multiplicássemos o amor? Será que nos tornaríamos mais humanos? Acredite, nossa previsibilidade e dependência do outro é absurda. Nossa necessidade de companhia, uma derrota irremediável. O segredo está na graça da vida! No humor, no aroma suave e doce da margarida. Não me fale de confiança e jamais ouse soletrar a palavra traição. Se pararmos por um segundo perceberemos que somos todos feitos da mesma matéria, que sonha, que chora, que morre e se recolhe ao fundo de nós. Não somos donos de nada, somos apenas infelizes aprendizes nessa arte difícil de amar.

Elisa Bartlett (via oxigenio-dapalavra)

4 days ago /  19716 notes /  reblog this ✖
Somos finos como papel. Existimos por acaso entre as percentagens, temporariamente. E esta é a melhor parte, o fator temporal. E não há nada que se possa fazer sobre isso. Você pode sentar no topo de uma montanha e meditar por décadas e nada vai mudar. Você pode mudar a si mesmo para ser aceitável, mas talvez isso também esteja errado. Talvez pensemos demais. Sinta mais, pense menos.

Charles Bukowski.   (via oxigenio-dapalavra)