THEME
AGORA, TRAGA-ME O HORIZONTE
Eu conheço suas ruas, doce cidade, Eu conheço os demônios e anjos que se agrupam e empoleiram-se em seus ramos como pássaros;
Eu conheço você, rio, como se corresse em meu coração;
Eu sou sua filha guerreira.
Há letras feitas de seu corpo como uma fonte é feita de água;
Há as linguagens de coisas que você é o projeto;
E quando as falamos
A cidade ascende.
Elka Cloke
1 week ago /  1 notes /  reblog this ✖
Mentiras são como cicatrizes na alma… Elas destroem você.

Lana Winters, American Horror Story

Give them all that they can drink and it will never be enough…

1 month ago /  3302 notes /  reblog this ✖
Quem nunca amou perdidamente jamais se encontrou.

Fabrício Carpinejar. (via florencear)

1 month ago /  0 notes /  reblog this ✖
No entanto, tive a fraqueza, e ainda tenho, de desejar que soubesse com que maestria me acendeu, o monte de cinzas que sou, em fogo…

Um Conto de Duas Cidades, Charles Dickens

1 month ago /  0 notes /  reblog this ✖
Eu era incapaz de por um fim a aquilo tudo. Incapaz de por um ponto, vivia acrescentando vírgulas.
Mas não me arrependo. Por mais que mentisse para mim mesma com sonhos que nunca se tornariam concretos, aquilo era bom. Cada instante ao lado dele valia a pena, a dor, o choro e, principalmente, os sorrisos.
Ah, era incrível a capacidade que ele tinha de me fazer sorrir. E eram risos francos, verdadeiros. Desses que a gente dá sem se preocupar se vão enxergar através de nós aquilo que escondemos. Eu não me preocupava porque me sentia segura com ele.
Estão vendo? Eram essas emoções que faziam as coisas valer a pena. Ele fazia tudo valer a pena.
Tudo que eu sentia depois do nosso tempo juntos não importava porque a presença dele, por menor que fosse a quantidade de tempo, já me valia o dia. E tudo isso - ou só isso - já era o bastante.
Que meu mundo caísse, se os braços dele fossem meu refúgio.

Evelyn M.